PERFORMANCE ENSAIO DE CORREDOR

ENSAIO DE CORREDOR é uma saída do banheiro para o quarto e no caminho há um corredor com um espelho ao fundo. Opa! Acho que dá para fazer uma SELFIE NUDE ARTÍSTICA. Dez segundos é o time do celular, me posiciono para o CLOSE/VOGUE.

Ensaio de Corredor é ficar nu sem perder a elegância e mostrar tudo, porque senão não é ficar nu.

Pode ser Peep Show, você me olha eu faço a performance.

Podem ser com mais pessoas, mas tem que tirar a roupa!

Diferentes objetos, texturas e figurinos aparecem, mas a luz é sempre a mesma, luz de banheiro e de quarto.

PERFORMER: Danilo Bracchi

A INSTALAÇÃO:

É comum vermos o self produzido no cotidiano, de modo exibicionista em relação ao que é consumido no momento, mas nesta instalação nos interessa algo mais íntimo, o corpo nu, fotografado num ambiente também íntimo. Existe algo mais íntimo que um quarto ou um banheiro? Mas na transição de um para o outro, arriscamos fazer o self no corredor, compartilhando da ideia de que exibir-se despido pode atingir de forma desagradável a integridade pessoal do individuo.   Por isso, nossos pontos de partida são questionamentos marcantes: do privado ao público, qual parte do corpo você exibe? como e por quê?

No Ensaio de Corredor o corpo nu fala (ou parte dele), valorizando as motivações,  questionando e revelando os aprisionamentos a qual um corpo é submetido, a eventual superficialidade, exibicionismo e/ou narcismo, para então colocar em cheque a durabilidade da imagem como fenômeno e o seu potencial como forma de comunicação num contexto de grande avanço tecnológico.

Desse modo, a instalação pode ser contemplativa e ao mesmo tempo interativa. O visitante pode observar as selfies fotografadas e reveladas ou vê-las no Instagram (a partir de um iPad que estará disponível no local) estando dentro de um ambiente montado, que reproduz de modo compacto o local original de sua produção. Ou pode se tornar participante da obra, utilizando seu próprio celular para fotografar a si mesmo, individualmente ou com um coletivo, e descarregar (ou não) a imagem no Instagram com a hashtag #ensaiodecorredor. Em ambos os caso, podemos dizer que esta instalação serve como uma provocação ao pensamento e sentidos humanos, sugerindo ampliadas possibilidades de se ver, de se posicionar e/ou se organizar no mundo.

Nesta instalação, a fixação da auto imagem - o self - é produzida com um aparelho móvel (Exemplo: smartphones) com acesso a internet, a partir de um espelho, disposto dentro de um corredor com luz e sombra, para oferecer ao retratista uma liberdade para explorar ângulos que permitem que ele jogue com o que quer visível ou invisível. O participante poderá usar os materiais disponíveis no organizador de banheiro para compor sua foto.

 

Projeto feito em parceria com: Raissa Araújo

55 (91) 983007007

c.i.cenica@gmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© 2015-2017 por Raissa Araújo